terça-feira, março 06, 2007

Emplastros

A praga dos “emplastros” implementou-se, de vez, em Portugal. De ano para ano este fenómeno passou a ser profissão.
Onde existir um repórter e uma câmara, gera-se um atroz aglomerado de pessoas à volta dos mesmos. Pensavam que este aglomerado só acontecia nos acidentes, não é? Ahahhhh, asneira!
Então, tudo processa-se (de modo geral) assim: quando o repórter pretende entrevistar algumas pessoas, o povo ao redor não liga nenhuma ao entrevistado. A massa popular atropela-se, empurra-se, acena, coloca os 2 dedos em V (da praxe) atrás das cabeças dos que conseguiram um lugar ao “sol”, isto é frente à câmara e envia os beijinhos a toda à família, incluindo aos parentes que não conhece.

No entanto, um moderno acessório veio revolucionar o mundo dos “emplastros”: o telemóvel!
Assim, aproveitam o tempo de antena para avisar ao pessoal lá de casa, via telemóvel, que estão a ser filmados. Nessa altura, presenciamos momentos de alto nível e emocionantes: com os telemóveis colados ao ouvido, “os emplastros” fixam a câmara e fazem várias poses para a família poder apreciar. Outros sujeitos, aproveitam para tirar fotos com os respectivos telemóveis para recordar esse acontecimento histórico.

Assistimos a sessões de risos compulsivos, uns abafam os risinhos com a mão para não deixar cair a dentadura, telemóvel sempre em punho.
Os menos discretos, esses, enquanto alguém é entrevistado, entretêm (sem o saber) os telespectadores com uma conversa deliciosa, do género (atenção, esta conversa não é aconselhável às pessoas mais sensíveis, depois não se queixam):

“OLHA, tou na televisão!! Vai lá ver depressa!! Hein? Não me estás a ver? Despacha-te porra! Que tal agora? Tou bem? Grava cara***! Ó parvalhão, tás a gozar, não tás?? Sei lá do cab*** do comando!! Já tá?? Tá?! Olha eu agora de frente! Hein? Tenho o quê?? Uma mosca nos dentes? Fo**-se foram as couves do almoço, p*ta que pariu!! Espera, vou virar-me pra tirar esta porcaria! Como assim vê-se a careca?? Pronto já tá, já saiu? Olha bem cara***!!! Espera aí, vou-me aproximar e fazer de conta que tou ouvir o gajo! E agora? Fo**-se, tá um paneleiro à minha frente! Espera, (pausa)... e agora?? Fiquei bem? Cortaram-me? Cabr**!”

O pior é que muitas vezes, estas situações acontecem em circunstâncias dramáticas. Vemos os entrevistados nitidamente desesperados enquanto os palhaços de serviço, entusiasmam-se com a câmara. Pode ter acontecido uma verdadeira calamidade numa localidade qualquer, todos as televisões nacionais e internacionais fazem a cobertura do desastre e qual é a reacção dos “emplastros”?? Acenam ao pessoal com cara de felicidade com o telemóvel colado ao ouvido!!!!

15 comentários:

Anônimo disse...

Adoro o teu sentido de humor, és inteligente, linda e perspicaz. Gostava muito falar contigo, tens alguma forma de contacto?

Beijo,
Ricardo

Luis Pestana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luis Pestana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

Uma sociedade que promove a mediocridade, o facilitismo, a ganância, a cultura de pacotilha, e Deus sabe o quê, porque não há-de ter lugar para o emplastro?

Josué

Klatuu o embuçado disse...

O pior dos emplastros é serem outrem-colantes! :)

balexandre disse...

em relação à forma de contacto, ela não se manisfesta mesmo reservado dia e hora (depois de um trabalhão a tentar fazer uma marcação com mais de 200 contacto no MSN, eheheh) :-P

em relação ao "emplastro" creio que só pode ser vista como a forma mais barata de marketing publicitário! lembra-se da norte americana que "alugou" a testa para fazer publicidade??? imaginem se a ideia é realizada cá, vejam o potencial da empresa em que os emplastros faziam publicidade !!

acho que agora "apenas estão a sondar mercado" ;-)

Silvia F. disse...

Ricardo, ok é muito simpático da tua parte mas a melhor forma de me contactar é através desta via (blog). Não gosto divulgar o meu email a desconhecidos, já tenho a minha caixa de correio quase em curto circuito, acredita! :)))
Retribuo o beijo!

Luís,
Pretendente? Qual nada! :))))
Sobre o post, também tenha essa sensação de país sub-desenvolvido em muitas àreas... infelizmente!
Entendi o que quiseste dizer sobre essas crianças e claro que não me quis referir a estas situações de calamidade humana. Essas crianças como estão habituadas a não terem nada e viverem na miséria, as máquinas para elas são tesouros... quando vejo estes géneros de documentários fico de rastos. E nós ainda nos queixamos da nossa vidinha, não é?

Josué,
Infelizmente é verdade, os emplastros são o reflexo dessa sociedade...

Klatuu,
Exactamente, hehehehe :)))

Balexandre,
Pronto, ok, essa mereci! :))) Estou em dívida contigo. Logo eu, que gosto imenso saber das vossas "misérias" por aí! Mas também com mais de 200 contactos!! Assustas qualquer pessoa!
Uma americana alugou a testa para publicidade??? Que raio de notícias passam por aí? Nunca ouvi falar disso! hahahaha Mas não te ponhas a meter ideias aos tugas porque, da forma como isto está, alugam o corpo todo para publicidade, tipo carros da fórmula 1!!! :))))

Anônimo disse...

Gostava de falar contigo em PVT se não te importares, ficamos a conhecermo-nos. Se tiveres mesmo problemas em dizer o teu email, eu dou-te o meu. diz qualquer coisa linda.

Beijão
Ricardo

Luis Pestana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Anônimo disse...

LLLOOOLLLL

Silvia F. disse...

Ricardo,
Não é necessário dizeres o teu email. Reitero o que disse, utiliza este blog, ok?

Luís,
Efeito do aquecimento global, certamente! ;)

Anónimo,
Lol para ti também.

Anônimo disse...

só te queria conhecer melhor, não percebo porque te fazes de difícil. diz-me qualquer contacto teu, juro que não te vais arrepender, utilizas algum chat?
please?

beijocas fofas
Ricardo

Silvia F. disse...

Ricardo,
Não quero ser indelicada... não me tentes a isso, tá?

The one you know disse...

lolololol esse ricardo é mesmo chato!

quanto ao post ta celente. memo celente. Pior são aquelas coberturas após um jogo de futebol quando uma equipa ganhou qualquer coisa e estão 50 macacos aos gritos e a abanar o jornalista e a por-lhe cachecois no pescoço! Vou ao rubro com esses momentos :P

Silvia F. disse...

The one you know,
Eia, já nem me lembrava deste cromo! Praga hahahahaha

Adoro estes momentos futebolísticos, principalmente a cara de parvo do jornalista que faz um esforço enorme para não mandá-los (em directo) para um certo sítio Hehehehe.